20 bons hábitos para economizar de vez em suas viagens! A 5 e a 18 são incríveis.

Todos querem viajar, mas nem todos querem de fato se organizar e planejar seus sonhos. Tirar do papel seu projeto está se tornando cada vez mais difícil, pois sempre deixamos para depois, a procrastinação está tomando conta de muitos, por isso devemos aprender a organizar o tempo a nosso favor.

Meus hábitos para eu conseguir economizar em minha viagens com minha filha.

Já segue nosso instagram? @maeefilhatrips

1 – Eu planejo tudo sozinha, quando digo sozinha é sem Agência de Viagens, pois encontro tudo no meu grande amigo e parceiro: Google!.. rsss

Workplace Desk Top Angle View Tablet Computer With Paper Documents Reports Finance Graph Flat Vector Illustration

2– Reservo minha hospedagem em cima da hora ou como já sei os reais valores em promoção, se eu encontrar reservo antes, porém, se você reserva ou só pega o nome e endereço da sua hospedagem, lá na hora, sempre rola desconto, pois negocia cara a cara.

Mas Janah…e se eu chego e não tem vaga? Você verá antes no site, eu uso o booking e hostelworld, esses sites já mostram se tem vaga ou não. Meu problema é que gosto de uma viagem mais solta, por isso não curto reservar antes, pode ser que eu queira ficar mais tempo em um lugar, encontre outro lugar mais legal e a energia do local me cativa mais. Isso vai do seu perfil de viajante, qual é o seu? Defina isso, pois fica mais fácil tomar decisões.

3– Sempre comparo preços, nunca compro e reservo hospedagem logo de primeira, pesquiso em várias plataformas.

4– Acompanho vôos, aprender a dinâmica que as cias aéreas usam para vender suas passagens, tão desejadas, se faz necessário.

continue lendo…

5– Eu vou aonde é promoção! Exemplo: eu queria ir para Maceió, porém, achei uma promoção incrível para Florianópolis, então, fui para Floripa. Vou fazer mochilão na Europa, tenho que pesquisar o país mais barato para entrar lá, não o que quero começar, a partir do mais barato, você começa a fazer o roteiro de viagens de um mochilão.

O que é um mochilão?

Mochilão é quando você viaja para conhecer vários lugares, vários países. Não faz uma viagem tradicional, que conhece apenas um local. Podendo girar em torno de dias, meses e anos, pelo menos uns 20 dias.

Aproveitando o assunto, o que é um mochileiro?

É um viajante profissional que viaja de mochila, não se preocupa em conhecer apenas pontos turísticos, sabe que uma boa viagem vai além de cliks em sua máquina. Gosta de conhecer a cultura local por meio dos moradores que ali habitam e não apenas ouvindo guias turísticos treinados para te agradar e falar somente coisas bacanas. Come do miojo ao caviar, pois existem diversos tipos de mochileiros, não só os que buscam viagens de baixo custo, pois um mochileiro não se preocupa em gastar dinheiro de forma fútil e sim com inteligência, sendo mestre em negociar, mesmo tendo muito dinheiro em sua conta. Ele sabe o valor real das coisas que busca. E também tem o mochileiro que não tem nada em sua conta bancária e mesmo assim viaja o mundo…pois sabe trabalhar em troca de hospedagem, sabe vender seu conhecimento…esses são ninjas da estrada. 

travel vacations design, vector illustration eps10 graphic

6– Verifico se no aeroporto ou rodoviária que vou, terá ônibus circular até a minha hospedagem, sempre procuro ver horários práticos, pois no terminal rodoviário de São Paulo, por exemplo, só tem ônibus para minha cidade das 5h às 22h. Então se meu voo chega às 22h30 já vou ter que dormir no aeroporto até sair o próximo ônibus, que é 5 horas da manhã. Se tivesse comprado a passagem pensando que poderia ocorrer este fato, evitaria isso. Lembrando também se você irá gastar comendo no aeroporto, veja se não irá dar o mesmo preço de um uber até sua casa ou hospedagem. Tudo isso você, aprendiz de viajante profissional, tem que começar a pensar.

7– Não comer em lugares turísticos, sempre pergunte para um trabalhador local, onde ele come, pergunte para um balconista/vendedor, eles sempre te ajudarão a fugir do meio turístico, sempre fica uma 3 quadras dos grandes centros, lugares baratos.

8– Utilizo metrô, ônibus, uber, nas cidades que vou…táxi nem pensar. Em Florianópolis/SC e Ubatuba/SP, adorei os ônibus circulares, funcionam bem e saem no horário certo. Quando fomos para a Ilha das Couves em Ubatuba/SP, no litoral norte, nos hospedamos no centro de Ubatuba, fui no terminal rodoviário, perguntei os horários e cada dia fui em uma praia top, de busão! Já com o horário de ida e volta, tudo bem planejado, vou no mercado da cidade, já compro alimentos, pois gosto de ir em praias que nem sempre tem ambulantes ou quiosques. Deixando para fazermos uma janta reforçada quando chegamos e fazer um café da manhã reforçado, antes de sairmos para nossa aventura do dia!rsss Lanche reforçado: pães, frutas, frutas secas, chocolate, salgadinho para a Maria, água, bolacha, etc.

continue lendo…

9– Viajar de ônibus, fiz o mochilão da América do Sul todo por terra, mas eu amo estrada, essa dica é pessoal, vai do gosto, pois existem formas de comprar passagens aéreas baratas.

10– Pesquise dias gratuitos para visitar museus na cidade, caso não tenha, vá só se for uma vontade super real, não gaste dinheiro só para falar que foi. Você já está na cidade, lembrem-se, conhecer cultura local não é só ir em lugares turísticos. Eu adoro sentar numa praça e observar as pessoas, conversar com uma pessoa local, sempre tem um idoso sentado lá ou conversar com artistas de rua, fico um tempão na conversa fiada, aprendendo muito, pelo olhar real de um morador, em Salta na Argentina, conheci pessoas incríveis assim, isso para mim vale mais que muito passeio caro.

Compartilhe esse post no whatsaap com o amigo que lembrou… e precisa saber dessas dicas.

11– Utilizo Wi fi dos lugares, ao invés de comprar chip.

12– Eu sempre negocio os valores dos passeios, sempre comprem os passeios quando for, pessoalmente. As agências querem lotar logo a van e sempre faltam umas 4 pessoas para encher o carro e eles irão dar desconto, podem ter certeza, eles nunca vão com lugar vago, preferem vender por um valor menor do que não ter ganhado nada.

13– Não compro lembrancinhas, pois aonde vou enfiar tralhas de viagens? Bobagem, prefiro gastar com comida…

14-Caso precise, durma no aeroporto para não pagar hospedagem para esperar um voo ou porque quer mesmo.

15– Comprar coisinhas no mercado já disse lá acima.

16– Viajar com pouca bagagem, se encontrar um voo low cost, não conseguirá embarcar com bagagem pesada, sem contar que é ruim carregar peso nas costas.

O que é voo Low Cost?

Surgiram na década de 90, reduzindo os custos e mudando o cenário de competição de preços, entre as cias aéreas, voos podem custar apenas 20 euros, dando um exemplo. Mas tem várias regras, uma delas é o peso da bagagem, na Easyjet 20 kilos e Ryanair 15 kilos, se não estiver dentro das normas das cias é cobrado valor adicional, sem dó, então pesar sua mala antes tudo, pois não há perdão.rsss

As duas empresas mais conhecidas são  Easyjet e Ryanair.  

Viajar com empresas a baixo custo, podem ser uma ótima opção. O site Skyscanner é um dos melhores buscadores desse modelo de viagem low cost, mas existem outros como WhichAirline (antigo Fly Low Cost Airlines) e Europelowcost .

17– Viajo em baixa temporada, viajar em feriados também se prepare para ser mais caro.

18– Não pago passeios que eu não queira, só porque todos fazem! Se você não quer tirar foto na Torre Eiffel em Paris, não tire! Se não quer ir para Machu Picchu quando for ao Peru, também não vá! Tem muitas coisas diferentes para fazer nesses lugares, não precisa acompanhar a manada.

19– Eu estudo bem o lugar que vou, então falo com propriedade de algum país ou cidade que nem fui ainda e meus amigos acham que até já fui. Com o tempo vamos adquirindo bons hábitos para economizar.

20– Comprar voos com conexão são mais baratos, mesmo que demore para chegar, você vai chegar… Né?!!…e gastando menos.

Ufa acabou!!!Gostou? Compartilhe com um amigo querido.

Espero ter ajudo você!

Beijo da Mamis.

About Janah Leite

Pedagoga, ama ser a mãe da Maria, gosta de inspirar as pessoas a viverem seus sonhos. Está em mudança de profissão para finalmente viver o nomadismo digital, que é sua grande meta de vida, junto com sua filha. Sempre tem uma visão positiva de seu posicionamento no mundo. Encara a viagem como uma busca constante de compreender o comportamento do ser humano, em suas diversas facetas, criando mais empatia e entendendo que somos iguais em diversas necessidades, independente da cor, religião, opção sexual e classe econômica.