Dicas e Perrengues- Mochilão América do Sul-de ônibus e bla bla car. Parte 4

Chegando em Uyni  os vendedores de passeios nos cercam, fica impossível já não fechar o passeio para o dia seguinte, já arrumei  hostel, me explicaram onde tinha caixa eletrônico (que nenhum aceitou meu cartão), fiz o passeio de 1 dia do Salar de Uyni, fiquei receosa em ficar 3 dias com minha filha no deserto,pois em Potosí ela não estava bem, ficou gripada e eu também, mas tomamos o remédio de altitude e ficou tudo ótimo.

20171230_144755
Humahuaca/ Argentina

Fizemos o passeio e a noite fomos pegar o ônibus para a cidade de Oruro/Bolívia, saímos 22h de Uyni, em direção a La Paz, pegar ônibus até Oruro e depois La Paz fica mais barato, do que direto, por  volta das 6h chegamos em La Paz, o ônibus  para Cusco/Peru só iria sair 16h, fomos andar de teleférico, que custam 3 bolivianos (1,50 reais), demos uma volta na cidade caótica de La Paz. Existe um passeio pela cidade que sai da rodoviária de La Paz, você conhece a cidade toda, custa 30 bolivianos (15 reais).

Chegando em Cusco/Peru, na rodoviária já tem vários guias e agentes te oferecendo tudo…rssss.

Já consegui um hostel por 15 soles (15 reais), depois de pedir muito é claro, mas o normal lá custa 30 soles (30 reais) que se você for olhar os preços do Brasil, continua muito barato. Eu já tinha mandado mensagem para 2 hostels, para eu trabalhar de voluntária em troca de hospedagem, mas ainda não tinha recebido resposta positiva de nenhuma.

Então fui para o hostel que me indicaram na rodoviária mesmo, de lá peguei um táxi que custou 8 soles (8 reais)até o hostel, que ficava nas proximidades da Plaza Del Armas, onde tudo acontece em Cusco. Mas não tinha cama para minha filha…como a cama é grande lá, eu percebi isso nos países vizinhos, as camas de solteiro é quase do tamanho da de casal, então minha filha dormiu comigo e cobraram 7 soles (7 reais) dela, ficando apenas 22 soles ao dia, com cozinha equipada, tudo muito limpo.

27540172_537302899968717_976244429422052783_n
Plaza del Armas- Cusco/Peru

Fomos fazer compra no mercado próximo, gastamos 100 soles na compra, compramos macarrão, carne, ovos, iogurte, frutas, pão, bolacha,etc…tudo para uns 10 dias que iríamos ficar lá.

Recebi resposta de um hostel que pediu para eu ir pessoalmente conversar, era perto da onde estava, e na mesmo dia já fui para meu trabalho no Peru.

Dormimos bastante,descansamos como se não houvesse amanhã…rsssss

Mas o hostel que fui trabalhar não tinha geladeira, perdi minha comida lá, peguei  gelo de um restaurante perto, mas não durou muito. Fazer o que né? Que raiva viu….minha macarronada com carne moída foi para o brejo…meu frango…etc.

Não vale muito a pena comprar muita comida no Peru, pois é barato as coisas lá, comida no Mercado San Pedro custa 5 soles, vem um prato enorme de sopa de entrada e outro de comida… fora outra coisas que achei super barato. Mas eu gosto do meu tempero, da minha comida, nem sempre cozinho para economizar, eu gosto da minha comida mesmo. Ainda mais com comidas tão diferentes, sentimos falta do nosso tempero.

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Voltamos de ônibus pela Bolivia, fizemos o caminho inverso, combinei com a Maria que iríamos até onde agüentarmos, sem parar, pois queríamos chegar logo ao Brasil, mas pegamos ônibus leito e era bem confortável com TV e wifi, viemos dormindo.

20180104_154812
Hotel feito de Sal – Salar de Uyni/Bolívia

Queria ter voltado pelo trem da morte, mas não é todos os dias que tem saída em Santa Cruz de La Sierra, e não iria ficar lá só para isso também, deixa para próxima. Quando chegamos em Puerto Quijaro/Bolívia que faz divisa com o Brasil, tivemos que pegar uma van até a fronteira que custou 15 bolivianos, que eu não tinha, pois achei que era perto da rodoviária a fronteira, mas um brasileiro pagou para nós no Brasil saquei o valor e devolvi para ele em real.  Na imigração da Bolívia e Brasil em Corumbá, demoramos mais de 5h para sair de lá.

Pegamos um ônibus circular até o centro de Corumbá, de lá fomos até Campo Grande/MS, de Campo Grande /MS até São Paulo. Foram 40 dias inesquecíveis.

Espero ter ajudado aos leitores…qualquer dúvida entre em contato conosco

Beijo da Mamis

Janah Leite.

About Janah Leite

Pedagoga, ama ser a mãe da Maria, engajada em políticas sociais. Gosta de inspirar as pessoas a viverem seus sonhos. Sempre tem uma visão positiva de seu posicionamento no mundo. Encara a viagem como uma busca constante de compreender o comportamento do ser humano, em suas diversas facetas, criando mais empatia e entendendo que somos iguais em diversas necessidades, independente da cor, religião, opção sexual e classe econômica.