Dicas: Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros – Diário de Viagens

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é um dos atrativos da belíssima Chapada dos Veadeiros, localizado na Vila São Jorge. É fácil chegar lá de qualquer pousada da vila, dura em média 15 minutos a pé. Passamos antes na Agência: Operadora Segredo, que fica no centro da Vila São Jorge, porém, neste dia, não tinha conseguido completar um veículo para conhecer outros atrativos da Chapada. Lá é comum ser chamado assim… atrativos. Ao chegar à entrada do Parque Nacional, fomos recepcionadas pelos voluntários ali presentes. Fomos convidadas a assistir um vídeo de 3 minutos sobre como utilizar as trilhas de dentro do Parque.

O vídeo informa sobre a importância de cada um cuidar de sua segurança, pois o Parque é enorme e, mesmo com os bombeiros presentes nas cachoeiras distantes, é imprescindível que cada um não ultrapasse as cordas de segurança, siga somente as setas das trilhas, não ir a lugares não autorizados.

Fizemos amizade com um rapaz que estava com seu filho, ele já conhecia a trilha e disse que já tinha levado o filho com apenas 3 anos. No Parque é normal fazer grupos em qualquer percurso da trilha. As pessoas são bem solidárias. Não é necessário guia, pois é bem sinalizada a trilha.

g3244777_1468638214715_high g3254809_1468806532076_high

Ponte na trilha para os Cânions

dda62018b93f56ed1ba1f579c2189844
Cânions

Fomos à trilha em direção aos Cânions e Carioquinhas, levamos 1h30 para chegar, são 9km ida e volta. Chegando perto da cachoeira, existem bastantes descidas e subidas, não é nada de outro mundo, minha filha fez, mas é necessário um pouco de preparo físico sim. Vi pessoas, jovens e idosos. Estes percebe-se que nitidamente fazem atividade física frequentemente.

Primeiro fomos aos Cânions, depois, na volta da trilha, passamos na cachoeira das Cariocas. Tivemos que descer uma escada entre as pedras, com um visual legal, depois para subir… coragem!!! rsssss. Mas vale o esforço. Lá o bombeiro encheu nossas garrafas com água potável, da cachoeira mesmo, foi bem gentil. A volta pareceu mais rápida.

fb_img_1472938741319
Cânions
g3435391_1469126484570_high
Cânions
4cb03bd1372b8024ae86d2da2396b325
Tchibum nos Cânions

Fizemos amizade com um pessoal de Florianópolis e fomos com eles até as Águas Thermais, chegamos já à noite. Lá é aberto até às 22h. Valor da entrada R$ 20,00, tanto adulto quanto criança paga esse valor. Lembro de que na Chapada a maioria das cachoeiras são pagas, não aceitam cartão, até porque não há sinal. As fotos ficaram muito escuras, por isso não irei postar. Mas a água lá é bem quentinha, um alento para as pernas depois de um dia de trilha no Parque.

Dica da Mamis:

Levar rinossoro, pois o clima é mega seco. Levar colete salva-vidas, visto que, como a água é muitooo gelada, pode dar câimbras. Mesmo com bombeiros, acredito ser perigoso, pois existem as beiradas que dá para nadar tranquilamente, mas, no meio da cachoeira, é mega  fundo, uma câimbra ali pode ser fatal. Também levar meias para não escorregar nas pedras e dentro da água. Muito protetor solar, boné, água, muita água! Leve na mochila: água, lanche. Lá é muito quente e seco. Leve óculos de natação ou snorkel, pois o visual embaixo d’água é lindo de viver, vá de tênis confortável. Fomos em julho, na época da seca, período que é recomendado ir, pois, na época de chuva, ocorrem trombas d’águas.

g3555876_1468636095290_high g3575934_1468635442190_high

Canions

g3626192_1468633562480_high g3626164_1468633379269_high

Em um momento da trilha, existe uma bifurcação com setas, à direita os Cânions, à esquerda Cariocas. Continuamos na subida até os Cânions e na volta passamos na cachoeira Cariocas. Temos essa escada, e para subir isso depois… coragem…kkkkkkkk. Mas cada esforço é recompensado pela beleza da natureza.

fb_img_1470483311990

Cariocas

Beijo da Janah Leite.

About Janah Leite

Pedagoga, ama ser a mãe da Maria, engajada em políticas sociais. Gosta de inspirar as pessoas a viverem seus sonhos. Sempre tem uma visão positiva de seu posicionamento no mundo. Encara a viagem como uma busca constante de compreender o comportamento do ser humano, em suas diversas facetas, criando mais empatia e entendendo que somos iguais em diversas necessidades, independente da cor, religião, opção sexual e classe econômica.