Dicas: Ilha das Couves/Ubatuba – SP – Diário de Viagens

Hospedei-me no Chalé Maluí, no bairro Perequê-Açu, próximo ao centro da cidade de Ubatuba. Um chalé bem localizado, com cozinha completa, próximo ao mercado, às lanchonetes, às barracas de artesanato e a trailers de lanche. Em 15 minutos a pé, chega-se ao terminal rodoviário dos bairros, o qual tem saídas para todos os lados da cidade. Achei super organizada a cidade de Ubatuba, os ônibus funcionam super bem e são pontuais.

Bom, ao chegar à rodoviária de Ubatuba, entrei em contato com a dona da pousada, para que alguém nos buscasse. *Várias pousadas têm serviço de translado, rodoviária, aeroporto, camping X pousada, etc, é só combinar com o responsável do local que você irá se hospedar. Foi cobrado 30 reais para isso. Foram nos buscar e levar na rodoviária intermunicipal.

Fomos no feriado de Finados, em novembro de 2015. Inicialmente me programei para ir à Ilha das Couves, que fica na divisa de Ubatuba/Paraty, ir ao passeio do Barquário, com saída da Praia Itaguá, ir à praia e à ilha do Prumirim.

11230654_1056697594343055_7960332529536902201_n

12189816_1056703334342481_397845431649179675_n

Fomos primeiro à Praia do Prumirim, que fica dentro de um condomínio, na estrada de Ubatuba/Paraty. A estrada é ótima e bem sinalizada. Não há taxa de entrada. O tempo não estava muito bom nem a maré. Essa praia possui um rio muito bonito que desemboca no mar, de um lado fica o mar; do outro o rio. Mesmo sem sol, estava gostoso o clima, bem tranquilo e vazia a praia, do jeito que gosto. Logo em frente à praia, dava para ver a Ilha do Prumirim, não fomos, pois o mar estava agitado e as travessias foram canceladas. Na praia tem quiosques com variedades de comidas e bebidas. Comemos um queijo branco com doce de leite, DIVINO!

12065824_1056699934342821_113333099108101713_n

12190040_1056698607676287_2017826701872869144_n

12193456_1056698054343009_1652610206363131965_n

 11049613_1056699854342829_7715134670660175933_n

11221880_1056697921009689_9104006286112175324_n

Na estrada tem a Cachoeira do Prumirim. Ela é linda, mas não deu tempo de ficar lá. Vamos deixar para uma próxima.

No outro dia, fomos à Ilha das Couves, no dia anterior, já havia ligado para o rapaz que faz a travessia. Ele cancelou, pois o mar estava agitado, com isso deixou para outro dia. Para ir à Ilha das Couves, é bem simples. Pegamos o ônibus às 7h30 na rodoviária. Ele fez o mesmo trajeto da Praia do Prumirim, seguindo em direção à Praia Picinguaba. Essa estrada tem praias ótimas: Praia do Félix, Fazenda, etc. A última praia da estrada que liga à Paraty/RJ é a Praia da Picinguada. Esta é uma vila de pescadores.

12115682_1056694917676656_6449860313256583194_n

13151462_1173047559374724_8357572947846894680_n

Lá tem saídas para Ilha das Couves, 30 reais por pessoa. A travessia dura aproximadamente 15min. Esperamos fazer um grupo para pagar menos a travessia, dica do próprio rapaz que faz a travessia. *Gosto de pessoas que jogam limpo, que não visam só dinheiro para viver.

Chegamos à Ilha das Couves com o sol estralando, passamos o dia lá, levei uma cesta de piquenique cheia de guloseimas, mas, caso queira comer por lá, tem quiosques na ilha e, para diversão, tem aluguel de SUP. A Ilha tem dois lados, tendo uma trilha de 5min que leva para o outro lado.

11225395_1056338047712343_1332773188070661647_n             11049588_1056337231045758_5203233102428849353_n

12074882_1056334654379349_6127123905592941408_n            12105944_1056610787685069_8860286109156215229_n

Foi perfeito nosso dia lá, aproveitamos bastante, e o rapaz  nos buscou no horário combinado. Pegamos o ônibus das 18h, que sai da Praia Picinguaba. Chegamos ao centro e fomos ao mercado fazer compras. Antes de irmos para o chalé, comemos em num trailer no centro de Ubatuba, vimos os artesanatos de rua e fomos embora.

12241605_1061741557171992_3614780294745905590_n            12036563_1056688634343951_4460379595227057044_n

No domingo fomos para o passeio do Barquário, estava chovendo, mas fomos assim mesmo. Esse barco tem o fundo de vidro, muito bacana, dá para ver os peixinhos que ficam na costa do mar. O passeio foi até a Praia do Cedro, mas, como o tempo estava ruim, não deu para ver muita coisa. Então foi cobrado um valor menor pelo passeio, mas valeu a pena, pois a água estava quentinha. No trajeto demos um mergulho em alto mar.

12063776_1056633344349480_8214164130972779216_n 12144863_1056633181016163_4106943983540531035_n

Conhecemos a galera do Pé na Estrada de Ubá/MG, serumaninhos com uma vibe ótima. Segue o link da página deles do Facebook: https://www.facebook.com/groups/471925146176126/

Dica: na Praia do Itaguá, que fica no centro de Ubatuba, saem a maioria dos passeios, porém, é muito caro sair de lá, por isso fomos direto à Praia Picinguaba, sem contar que saindo do Itaguá você tem horas predeterminadas para ficar na ilha e em outros lugares dos passeios existentes lá. Saindo direto da Praia Picinguaba, você decide o tempo que fica, podendo aproveitar mais, por 30 ou 40 reais. Da Praia Itaguá, estava de 300 a 500 reais esse passeio. O passeio que achei com valor mais justo foi do Barquário e de outro rapaz, que leva para outros lugares também, como a Ilha Anchieta (foto da Kombi com o contato dele). No Itaguá também fica o Aquário de Ubatuba. Enquanto esperava a saída do Barquário, fomos dar uma volta por ali, onde se concentra o comércio local. A Praia do Cedro não precisa ir de barco, é bem próxima à Praia do Itaguá, que tem uma pequena trilha para chegar lá.

Já fomos outras vezes na Ilha das Couves, fizemos a travessia com o barco do Júnior. Você pode contratá-lo pelo WhatsApp: (12) 99643-0655. É sempre bom perguntar para o barqueiro se o mar está bom para a travessia, para você não perder viagem, isso vale para qualquer lugar. Não se esqueça de falar que viu o telefone dele aqui no blog.

Barqueiro Júnior

Caso haja dúvidas, é só perguntar que responderei todas.

Beijo da Janah.

 

About Janah Leite

Pedagoga, ama ser a mãe da Maria, gosta de inspirar as pessoas a viverem seus sonhos. Está em mudança de profissão para finalmente viver o nomadismo digital, que é sua grande meta de vida, junto com sua filha. Sempre tem uma visão positiva de seu posicionamento no mundo. Encara a viagem como uma busca constante de compreender o comportamento do ser humano, em suas diversas facetas, criando mais empatia e entendendo que somos iguais em diversas necessidades, independente da cor, religião, opção sexual e classe econômica.